A arquitetura de sua estratégia de formação de capital corporativo deve ser projetada por design e não deve ser algo que evolua por padrão ao longo do tempo.

No entanto, muito comum é a empresa que se organiza impropriamente fora do portão, fazendo o errado escolha de entidade, emitindo o tipo, classe e quantidade errada de ações ou unidades de membros, buscando investimentos de capital nas fontes erradas ou na hora errada, utilizando a forma errada de financiamento de dívida e a lista continua No post de hoje eu vou examinar alguns erros comuns de formação de capital a serem evitados.

Há pouco tempo fiz uma pesquisa informal com o objetivo de tentar entender como os empreendedores escolhem organizar suas empresas. As cinco perguntas a seguir foram feitas a um grupo de empreendedores brilhantes, bem-sucedidos e sofisticados e as respostas recebidas variaram do sublime ao ridículo, ao muito esclarecido. As respostas exibidas abaixo são representativas das respostas mais comuns:

1. Como você selecionou sua estrutura de entidade? “Perguntei ao meu contador que tipo de entidade usar e ele disse que um Sub S seria a melhor escolha para minimizar minha carga tributária”

2. Como você organizou sua estrutura de capital?  “Meu advogado acabou de me dizer para emitir 100 ações ordinárias.”

3. Qual foi o seu plano de formação de capital? “Eu tinha um pouco de dinheiro economizado e imaginei que, uma vez que estivesse no negócio por um tempo e estabelecesse alguma receita, conseguiria um empréstimo bancário.”

4. Qual foi sua estratégia de avaliação? “Eu realmente não tinha uma estratégia de avaliação, pensei que se resolveria no momento certo.”

5. Qual foi sua estratégia de saída? “Eu realmente não tinha um plano de saída em si, apenas pensei em pesquisar minhas opções quando chegasse a hora certa e ver o que produzia o melhor retorno.”

o verdade é que já vi empresas fazerem todas as escolhas erradas em seus estágios de formação e ainda assim se saírem bem. No entanto, essas empresas que tiveram sucesso apesar de si mesmas tiveram o luxo de ter tempo e dinheiro para reestruturar seus negócios posteriormente. A triste realidade é que a maioria das empresas não tem tempo ou capital para desfazer erros críticos em seus planos financeiros estratégicos.

Meu conselho é simples Não caia na armadilha de trabalhar com um pequeno contador ou advogado “mamãe e papai”; em vez disso, procure consultores profissionais de alto nível ao desenvolver seu plano financeiro corporativo. Tempo gasto no desenvolvimento de uma estratégia sólida financeiro A estratégia ajudará sua empresa a garantir capital nos melhores termos, taxas e condições, permitindo assim que sua empresa cresça, aproveitando o menor custo combinado de capital para a melhor avaliação, resultando no maior retorno sobre o patrimônio.