Quão burro é o seu negócio? Correndo o risco de atrair a ira dos elitistas corporativos, afirmo a você que quanto mais burro for o seu negócio, melhor para você. A verdade é aquilo grandes empresas são aqueles que podem prosperar e prosperar na ausência de sofisticação. Por mais estranho que pareça, as empresas que são não depende de talento inteligente, capital ou tecnologia podem ser dimensionados com mais rapidez e facilidade do que os negócios sobrecarregados com as dependências mencionadas acima. No post de hoje, vou compartilhar por que acredito que burro é o novo inteligente…

A verdade simples da questão é que, se o seu negócio exige dinheiro inteligente (o que equivale a dinheiro caro), ou sua vantagem competitiva está ligada a um funcionário-chave de super-herói, ou seu negócio é construído em torno da manutenção de uma vantagem tecnológica, você tem mais fraqueza em seu modelo de negócios do que você faz pontos fortes.

Vamos detalhar um pouco mais o argumento do talento. Não estou sugerindo nem por um momento que você não queira contratar talentos de primeira linha. No entanto, estou afirmando claramente que você não quer ser dependente do talento de primeira linha. Talento é claramente uma vantagem, desde que seja um valor agregado e não um requisito de negócios. Se o plano de negócios de longo prazo da sua empresa exigir a aquisição ou retenção do funcionário do uber, sua empresa não apenas terá um problema de gerenciamento de risco, mas provavelmente não será escalável. Se sua empresa não pode ser operada por meros mortais, você precisa reexaminar sua lógica de negócios. Aqui está uma regra simples: quanto maior a política do homem-chave, menos escalável a empresa é.

O fator burro não se aplica apenas ao talento, capital e tecnologia, mas também se estende por toda a cadeia de valor. Aplica-se ao seu marca, marketing, cadeia de suprimentos e, finalmente, para sua base de clientes. Se o seu cliente precisa ser um cientista de foguetes para entender sua proposta de valor, você tem problemas. Se seus funcionários não podem explicar de forma simples e eficaz o que você faz, você tem problemas.

O último ponto que quero abordar é o crescimento no que se refere a negócios estúpidos. Tanto as empresas escaláveis quanto as não escaláveis podem alcançar crescimento e sucesso sustentável. No entanto, é importante entender a distinção entre os dois. Enquanto uma empresa não pode escalar sem crescimento, uma o negócio pode crescer sem ser escalável. Se o seu modelo de negócios requer crescimento implícito do cliente, seu negócio pode crescer por um determinado período de tempo, mas não é escalável.

A moral dessa história é que, embora sofisticação e complexidade muitas vezes andem de mãos dadas, elas não precisam ser sinônimos. Concentre-se em reduzir as tarefas mais complexas para os níveis mais baixos da organização e, em seguida, aproveite o talento, o capital e a tecnologia, evitando a criação de dependências de erosão das margens.

Postagem relacionada: Mantendo a simplicidade