"O fraco pode nunca perdoar.

O perdão é um atributo dos fortes.”

~Mahatma Gandhi

Hoje estou escrevendo sobre um tema que raramente é falado no domínio da liderança, especialmente entre os líderes corporativos. Agora, antes que você destrua a ideia, por favor, permita-me explicar melhor. 

Na minha opinião, o perdão não pode ser ignorado, porque fazê-lo é desafiar uma lei natural como a gravidade. O perdão é uma das principais formas fundamentais de ser para líderes extraordinários como Nelson Mandela, Jesus e Gandhi.

No filme Homem-Aranha 3, Peter Parker sonha com uma vingança assassina contra o homem que atirou e matou seu tio Ben. Quando o lodo da falta de perdão se liga a ele, ele muda seu traje de Homem-Aranha para preto. Sua tia May, modelo de perdão, tem palavras muito sábias e proféticas para ele: a vingança é um veneno que pode “nos dominar e nos transformar em algo feio”.

 O que Peter finalmente descobre é que, como seu traje do Homem-Aranha, a vingança não é algo que pode ser facilmente colocado e retirado à vontade. Sabendo que tem que se livrar disso ou se perder para sempre, ele tem discernimento suficiente para buscar uma maneira de se libertar alcançando Deus. 

A representação da luta desesperada de Peter com o traje de lodo não promove a noção de que o perdão vem fácil. Uma vez que ele está finalmente livre, há uma lavagem ritualística. Embora o traje de lodo tenha desaparecido, a vingança ainda permanece e está procurando outra vítima. 

Como o Homem-Aranha, descobri como a raiva e a falta de perdão podem passar de servo a escravizador. Há alguns anos estive envolvido em uma longa e exaustiva disputa, e depois de algum tempo percebi que o custo pessoal e financeiro era muito alto. Minha raiva e amargura que começaram a consumir e controlar minha vida começaram a ganhar vida própria. Fiquei muito ansioso, não conseguia dormir à noite e minha saúde começou a se deteriorar. Como o Homem-Aranha, eu mal me parecia com a pessoa satisfeita e calma que costumava ser. Finalmente, quando parecia não haver saída, fiquei muito cansado e extremamente frustrado e senti vontade de desistir. 

Mas em algum momento do meu desespero, lembrei-me do versículo “Resolva as questões rapidamente com seu adversário… ou isso lhe custará seu último centavo”. Essa forte voz interior me ajudou a deixar o problema de lado e perdoar, e imediatamente senti uma enorme sensação de alívio e liberdade.

Para ser claro, o perdão não significa aceitar a queixa ou que qualquer parte esteja certa ou errada. Significa abrir mão da necessidade de vingança do ego e de estar certo para tornar a outra parte errada.

Minha experiência de perdão envolveu voluntariamente e substituindo intencionalmente estados negativos de raiva, medo e falta de perdão com um estado mais construtivo associado à empatia. Consegui alcançar o perdão através dos cinco passos a seguir: 

1. Lembre-se da dor:  Isso foi fácil para mim, pois eu ainda tinha que negar meu sofrimento diário.

2. Empatia:  Consegui ter empatia e ver a questão do ponto de vista da outra parte.

3. Oferecer desinteressadamente o dom do perdão:  Lembrei-me de que muitas vezes prejudiquei ou ofendi outros que depois me perdoaram.

4. Comprometa-se publicamente a perdoar: Eu disse à minha família, meus conselheiros e outros que eu tinha deixado o assunto de lado.

5. Lembretes gentis:  Para parar de recair na raiva, eu tinha que me lembrar constantemente de que havia perdoado.

Há muitos benefícios do perdão. Em seu livro Inteligência social, Daniel Goleman revela que perdoar alguém de quem guardamos rancor reverte a reação biológica. Reduz nossa pressão arterial e frequência cardíaca, os níveis de hormônios do estresse e diminui a dor e a depressão. Muitas pessoas também se sentem menos feridas e relatam uma queda substancial nos sintomas físicos do trauma, como falta de apetite e insônia. 

O perdão gera um sentimento restaurado de poder pessoal que pode abrir caminho para uma futura reconciliação. 

Muito obrigado por ler este post. Convido você a compartilhar seus comentários sobre este tópico, pois ele se aplica à sua vida pessoal e local de trabalho.