Inovação, crescimento e desenvolvimento não podem ocorrer fingindo que vivemos em um mundo que há muito passou por nós. Liderar no século 21 não oferece refúgio seguro para os pensadores do século 20. O pensamento antigo, estático e institucionalizado controlará o ritmo do progresso mais rápido do que qualquer outra coisa. Se você quiser se expor como um líder desatualizado e desatualizado, continue tentando abordar os problemas e oportunidades de hoje com o pensamento de ontem.

Vamos direto ao assunto – a história é útil para muitas coisas, mas a experiência e a sabedoria adquiridas no passado devem ser um trampolim para o futuro, não uma desculpa para viver no passado. Líderes inteligentes simplesmente não desperdiçam recursos preciosos em iniciativas de refinamento – eles investem em esforços de reimaginação. Os líderes seriam bem servidos para aplicar a reimaginação em todos os aspectos de seus negócios, mas principalmente no que diz respeito à constante reimaginação de como lideram.

Examine qualquer estudo sobre a taxa de mudança e você descobrirá que estamos vivendo em um tempo sem precedentes. A taxa de mudança está claramente ultrapassando a capacidade da maioria dos líderes de aprender e desaprender. Muitos líderes lutam para se manter atualizados, muito menos para encontrar uma maneira de avançar na curva. Aqui está a coisa – se os líderes estão presos no passado, suas organizações serão forçadas a percorrer um caminho muito difícil para o futuro.

Os melhores líderes entendem que o presente nada mais é do que uma plataforma para prever e posicionar o futuro. Se você quiser liderar de forma mais eficaz, encurtar a distância entre o futuro e o presente. Inspirador inovação e liderar mudanças exigem mais do que processos – elas exigem a adoção de uma mentalidade cultural. Os líderes que protegem o status quo por meio do controle devem se render às mudanças para garantir o futuro de sua organização. Não seja o líder que recompensa a mentalidade de rebanho, e eu também pensando. Não seja o líder que encoraja as pessoas a não falharem ou não correrem riscos. Seja o líder que modela e dá permissão para fazer exatamente o oposto do mencionado acima – seja um líder que lidera.

Líderes inteligentes desafiam tudo – especialmente o pensamento convencional, as melhores práticas e a lógica dominante. Quando me refiro à lógica dominante, estou me referindo a comportamentos/práticas existentes, que prendem as empresas em um padrão de pensamento outrora produtivo que não é mais (falsas verdades consideradas reais). Tudo nos negócios pode ser melhorado, tudo pode ser reimaginado e muitas coisas podem ser eliminadas. O truque é saber em quais itens focar. Embora a lista a seguir claramente não seja exaustiva, ela identifica 10 coisas que todos os líderes devem desafiar:

1. Desafie a Fundação – Coisas ruins acontecem quando sua base está instável. Se os valores centrais, a visão e a estratégia não forem sólidos e alinhados, todo o resto sofrerá. Se você não tem uma direção e um propósito claramente articulados, como pode esperar alcançar os resultados certos? Os melhores líderes defendem algo maior do que eles mesmos e são movidos por mais do que apenas o lucro. Eles entendem o valor de um negócio orientado a propósitos. Se o que acabei de dizer não faz sentido, é hora de começar o processo de reimaginação.

2. Desafie o destino – Liderança não é baseado no destino – é um continuum. Grandes líderes pensam além do resultado. Eles pensam sobre o que se e o que vem a seguir. Eles não ficam presos na jornada para um destino específico, mas permanecem em constante busca de descoberta para buscar novas e melhores oportunidades.

3. Desafie a promessa – A promessa da sua marca está no alvo? É entregável? É sustentável? Se você não puder cumprir sua promessa aos clientes, não terá muito com o que se preocupar. Poucas coisas impedem o avanço de um negócio como uma marca que precisa de uma atualização.

4. Desafie o Modelo – Nem todos os modelos de negócios são criados iguais. Além disso, só porque você tem um modelo de negócios não significa que seja o certo ou que seja sustentável. Rompem o modelo de negócios desde o mecanismo de receita até o modelo de distribuição e a estratégia de entrega. Isso oferece uma vantagem competitiva no futuro ou precisa ser repensado?

5. Desafie as informações – Nem todas as entradas são criadas iguais. Não pense em big data – pense em bons dados. Líderes inteligentes entendem que há uma diferença entre instintos, dados, informações e conhecimento. Além disso, por mais que alguns não queiram ouvir isso, nem sempre opinião e teoria são sinônimos de fato e realidade. Agendas e preconceitos geralmente permeiam o fluxo de informações, portanto, confiança e credibilidade devem ser levadas em consideração ao avaliar a qualidade da informação. Sempre desafie as informações, mas reconheça que há uma diferença entre ser cético e ser perspicaz. Por último, sempre vale a pena reimaginar como você processa as informações para obter melhores decisões.

6. Desafie a Organização – Já estou aqui há tempo suficiente para ver quase todo tipo de design organizacional ir e vir, só para voltar. Um ótimo exemplo disso seriam as organizações Matrix, ou o que chamo de versão corporativa da Matrix Trilogy. O modelo Matrix existe há quase 30 anos. Embora muitas organizações tenham matado a Matrix, algumas a readoptaram, outras permaneceram presas na Matrix por décadas, mas praticamente todas as grandes empresas que a utilizam estão sobrecarregadas. Não consigo pensar em um alvo melhor para reimaginação do que Matrix. Onde está Neo quando você precisa dele? Para aqueles de vocês que não estão presos na Matrix, não estão fora do gancho. Qualquer estrutura organizacional pode ser reimaginada e melhorada.

7. Desafie a Cultura – Toda organização tem uma cultura. Alguns são cuidadosamente criados e curados por design, e outros evoluem por padrão. Alguns são tóxicos; alguns mal sobrevivem com suporte de vida, enquanto outros são saudáveis e vibrantes. O resultado final é que a cultura pode ser um ativo significativo ou um enorme passivo. A questão sobre a dinâmica cultural é que ela pode mudar muito rapidamente – seja a seu favor ou contra ela. Os líderes que falham em desafiar constantemente as normas e construções culturais estão falhando consigo mesmos e com aqueles que lideram.

8. Desafie o talento – Muitas coisas se beneficiam do compromisso, mas o talento não é uma delas. Se você se contentar com qualquer coisa menos do que adquirir, implantar, desenvolver e reter os melhores talentos possíveis, que vergonha. Eu sempre disse que os líderes merecem as equipes que constroem. Se você não puder mobilizar e implantar os melhores talentos para suas maiores oportunidades ou seus maiores riscos, você tem um problema. Se a sucessão não for uma preocupação de toda a empresa, há problemas no horizonte. Se o desenvolvimento de liderança for apenas uma palavra da moda e não um ponto de ênfase, você não permanecerá competitivo. As áreas de desenvolvimento de liderança, desenvolvimento organizacional e aquisição de talentos devem ser constantemente desafiadas e reimaginadas.

9. Desafie o Complexo – Não caia na armadilha de acreditar que sofisticação é sinônimo de complexidade – não é. Grandes líderes desafiam todas as coisas complexas e, se forem inteligentes, procuram simplificar tudo. Seja estratégia, organização, processo ou execução, se for complexo, precisa ser reimaginado.

10. Desafie-se – A verdade é que a maioria dos líderes são habilidosos em desafiar os outros, mas são lamentavelmente inadequados quando se trata de desafiar a si mesmos ou permitir que outros os desafiem. Quando os líderes mantêm um padrão mais alto de rigor, disciplina, responsabilidade e transparência todos ganham.

O que eu perdi? Pensamentos?